Sábado, 16 de Fevereiro de 2008

Planeamento Urbano (parte 1)

Boa noite.
Antes de mais pedimos desculpas pela ausência: o grupo encontrava-se numa fase delicada do projecto (concretização da 1ª fase de diagnóstico e transição para a segunda fase de apresentação e consolidação de propostas) de onde não resulta nada de novo.

Entretanto, podemos finalmente referir uma primeira aproximação do projecto com a Câmara Municipal.

Na passada quarta-feira o grupo esteve reunido com o arquitecto António Charro, da divisão de planeamento Urbano da C.M.Trofa, e com a Dra. Isabel Torres, interlocutora do grupo com a câmara pelo concurso cidades criativas.

Para surpresa do grupo, foi notada uma certa sintonia no que toca aos pontos delicados da Trofa no que toca aos sectores da arte, cultura e desporto.

No entanto, pelo lado de políticas de planeamento urbano, as estratégias utilizadas não são, pelo nosso ponto de vista as mais correctas.

Frisaram constantemente: "Não queremos hipotecar futuros."

"Não queremos hipotecar futuros"?


Primeiro: A necessidade de retirar lugares de estacionamento para veículos ligeiros no centro da Trofa.

-Sim isto, pelo lado ambiental, é uma boa medida, pois obriga a população a deslocar-se a pé no centro da cidade, reduzindo assim os níveis de poluição.
Mas até que ponto todos os cidadãos podem deslocar-se a pé até ao centro da cidade? A Câmara esquece-se das pessoas que não vivem assim tão perto da baixa e que, por não existir uma rede de transportes públicos eficiente, necessita do carro para se movimentar.

Pensando nas consequências:
Será que a Câmara quer eliminar de uma vez por todas o resquício de comércio local que ainda existe na Trofa?

Opinião pessoal: Até que ponto isto não será mais uma estratégia para reduzir o número de viaturas na estrada nacional e assim, sem resolver verdadeiramente o problema, poder afirmar que estão a trabalhar na resolução do calvário de todos os condutores que nestas estradas circulam?

"Não queremos hipotecar futuros."?


Segundo: Apontaram a agricultura como um sector de forte rendimento e expressão na Trofa.

-É verdade, a equipa já o tinha referido. Mas se reflectirmos...
isto é a maior incoerência que já ouvimos.

Todos sabemos, todos lemos:
está programada uma Plataforma logística Maia-Trofa que arrasará com grande parte do Vale do Coronado. Está programada uma nova Estação ferroviária e um novo traçado da linha férrea que ocupará mais uma boa porção das terras férteis na Trofa.

"Não queremos hipotecar futuros."?


Bem gostava de poder desipotecar o futuro...


(continua...)
sinto-me: A mim ninguém me cala
publicado por 002ordemparacriar às 21:54
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De juliana lopes a 17 de Março de 2008 às 23:04
A Trofa devia apostar mais no desporto e na ajuda de grupos que praticam desporto. façam com que a Trofa melhore nesse aspecto.. e só uma sugestão . beijos


De mashamsmasham a 25 de Maio de 2008 às 15:13
Á ganda blog, rooney, ton e pisco...


Comentar post

.002 ordem para criar (Trofa), de João Maia, José Rui e Nuno Azevedo. Núcleo de discussão do Projecto Cidades criativas.

.pesquisar

 

.Nº de Visitas

contactoscoches y motoshosting gratuitoestadisticasclasificados

.Musica na trofa


.posts

. O desinteresse dos jovens...

. Uma iniciativa para a cul...

. O novo post

. Biblioteca, biblioteca

. Desplaneamento urbano

. Relatório do processo, se...

. O regresso, a terceira fa...

. Um Parque da cidade

. Cultura - exemplos a segu...

. Planeamento Urbano (parte...

.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.arquivos

.links

Trofa